Marcadores:

São-paulino volta a marcar, Brasil vence o Equador e está nas quartas

Se o São Paulo tem se preocupado com a perda de Lucas para a Seleção principal e de quatro jogadores para a sub-20, a solução para tantos desfalques pode estar ainda na base. Destaque da vitória diante da Dinamarca e que também deixou sua marca contra a Costa do Marfim, Ademílson voltou a decidir a favor do Brasil nesta quarta-feira. Agora no mata-mata, o atacante comandou a vitória sobre o Equador, por 2 a 0, em Guadalajara, pelas oitavas de final do Mundial sub-17.

Nas quartas de final, o Brasil terá pela frente o Japão, que goleou a Nova Zelândia por 6 a 0 em partida realizada na noite desta quarta-feira, em Monterrey. Em uma possível semifinal, o caminho o colocaria contra Uzbequistão e Congo ou Uruguai, adversários em Morelia

Foi do tricolor paulista o primeiro gol brasileiro - e o quarto dele -, em bonito chute de fora da área, aos 16 do primeiro tempo. Leo, aos 43 do segundo, fechou o placar contra os “novos fregueses”. No Sul-Americano da categoria, no dia 3 de abril, o Brasil já havia vencido por 3 a 1 pelo hexagonal final, justamente no Equador.

Em outro jogo no mesmo horário, o Uzbequistão atropelou a Austrália, terceira colocada do grupo brasileiro, por 4 a 0, em Torreón. Makhstaliev, Khakimov, Chapman (contra) e Yarbekov marcaram os gols do jogo.

Não foi lá uma grande exibição da Seleção nos primeiros 45 minutos em Guadalajara, sua “casa” no México. Mas o suficiente para descer para os vestiários com a vaga parcial. Se o são-paulino Lucas Piazon, já vendido ao Chelsea, fazia as adolescentes nas arquibancadas gritarem desde o hino nacional, foi o seu companheiro de clube, Ademílson, quem deu motivos para o Equador se preocupar.

A primeira boa chance dele e do Brasil surgiu aos 4 minutos. Em jogada individual, o atacante limpou a marcação e bateu de fora da área. Passou perto. Na realidade era apenas um aviso. Aos 16, Adryan deixou de calcanhar para Wallace, que passou para Ademílson finalizar. Dessa vez ela morreu no cantinho de Cuero: 1 a 0.

Praticamente inofensivo, o Equador se aproveitou de um vacilo para assustar Charles. Foi aos 33, quando José Cevallos, filho do ex-goleiro da LDU, recuperou a bola no campo ofensivo e chutou da meia-lua. O goleiro caiu no canto direito e espalmou a única oportunidade contra a meta brasileira.

Lucas Piazon e Nathan, suspensos, e Wallace, machucado, preocupam

Sem Wallace, substituído ainda no fim do primeiro tempo após lesionar a região lombar em uma queda, o Brasil caiu de produção. Quase fez o segundo, em um frangaço que Cuero estava pronto para engolir, aos 3 minutos, em cruzamento de Ademílson que foi para o gol. A trave impediu o gol e deixou os equatorianos em alerta.

O panorama mudou, e o Equador teve os seus 15 minutos de fama. Enquanto Piazon e Nathan eram suspensos por cartões amarelos, a entrada de Mercado renovou o ataque rival. Foi dele a melhor oportunidade, aos 15, em boa jogada do ágil Valencia. Charles saiu bem e defendeu. No rebote, o zagueiro Marquinhos salvou praticamente em cima da linha.

O Brasil conseguiu se recuperar e voltou a criar. Aos 22, um desvio deixou Piazon livre, na grande área. Não aproveitou. Quatro minutos depois, foi a vez de o lateral Emerson chutar em cima do arqueiro em linda troca de passes. Ademílson também pôde ampliar, aos 32, mas Cuero não deu rebote. Para a nossa sorte, não precisou.

0 comentários:

Postar um comentário