Marcadores:

Camp. Brasileiro Série A 2012: (4º rodada)

Em jogo de reviravoltas, Náutico derrota o Botafogo por 3 a 2

Numa partida em que as torcidas foram da alegria à frustração e da frustração à alegria, melhor para a do Náutico, que viu seu time derrotar o Botafogo por 3 a 2, neste domingo, no estádio dos Aflitos, no Recife. O time pernambucano, que obteve sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, abriu 2 a 0 no primeiro tempo, com gols de Araújo e Lúcio, teve um jogador expulso (Márcio Rosário) na etapa final e levou o empate (Márcio Azevedo e Fábio Ferreira marcaram). No entanto, quando os cariocas davam a impressão de conseguiriam a virada, Márcio Azevedo foi expulso, Vitor Júnior errou na defesa, e o Timbu obteve o gol da vitória, marcado por Derley.

O autor do gol decisivo do jogo comemorou muito, fazendo o gesto de quem embala um neném, em homenagem a Bernardo, seu filho recém-nascido.

- Tive uma oportunidade de acreditar na jogada e fui feliz de fazer o gol. Quero dedicar ao meu filho, que nasceu na sexta-feira. Então, acho que a felicidade é triplicada - disse Derley, logo após a partida.

Para o zagueiro do Botafogo Fábio Ferreira, a falha no terceiro gol do Náutico não foi só de Vitor Júnior, mas também do goleiro Milton Raphael:

- Foi uma bola que não foi tão forte. O goleiro também não sabia se saía ou não.

O Náutico chegou aos quatro pontos ganhos e está em 13º lugar no Brasileirão. O Botafogo, que sofreu sua segunda derrota seguida, após duas vitórias nas duas primeiras rodadas, fica com seis, na sexta posição. Na quinta rodada, a equipe alvirrubra receberá o Grêmio, nos Aflitos, no próximo domingo. O Botafogo joga no sábado, contra o outro gaúcho, o Inter, no Beira-Rio.

Diante de 12.354 pessoas (7.008 pagantes, que proporcionaram uma renda de R$ 210.000) nos Alfitos, os dois times entraram em campo com posturas ofensivas. E a primeira grande chance de gol surgiu aos seis minutos, num contra-ataque que começou num soco que o goleiro Milton Raphael deu para cortar o perigo da área do Botafogo. Andrezinho dominou, avançou e lançou Herrera, que penetrou na área livre e tentou encobrir Felipe. Mas o arqueiro do Náutico foi mais esperto e defendeu.

A resposta do time da casa veio imediatamente em forte chute de Elicarlos e em seguida, aos oito, quando Souza driblou Milton Raphael e cruzou para Araújo. Mas o atacante não conseguiu cabecear com liberdade para o gol, e a bola ficou com o goleiro alvinegro.

Figueirense e Ponte Preta finalizam muito, mas sem precisão: 0 a 0

Figueirense e Ponte Preta bem que se esforçaram. Superaram a forte chuva que caiu em Florianópolis na noite deste domingo e fizeram o jogo com o maior número de finalizações da quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Mas as 17 tentativas dos donos da casa e as 15 dos visitantes não encontraram as redes no Orlando Scarpelli. O placar de 0 a 0 mantém a invencibilidade do Figueira, que soma seis pontos e está em nono lugar, e o jejum da Ponte, que tem três e está em 15º.

Após um primeiro tempo equilibrado, os catarinenses se aproximaram do gol após o intervalo, até que Sandro puxou o atacante André Luis, que ia em direção ao gol, e levou o cartão vermelho direto. Depois do lance, a Ponte mudou a história do jogo e pressionou

O atacante Caio, que nas três primeiras rodadas marcara três gols, lembrou que o Figueira já tivera um jogador expulso (Anderson Conceição) contra o Corinthians.

- Complicou mais uma vez. Tinha que começar com 11 e terminar com 11 - reclamou.

Na quinta rodada, o Figueirense enfrenta o Cruzeiro às 18h30m de sábado, no Independência. A Ponte Preta recebe o Corinthians - que estará em meio à disputa na Libertadores - no domingo, às 18h30m.

Cruzeiro vence o Sport, arranca no Brasileirão e encosta no G-4

A partida deste domingo, no Melão, em Varginha, proporcionou o reencontro entre o técnico Vágner Mancini e o Cruzeiro. O treinador, dispensado recentemente do clube mineiro, assumiu o Sport e, já na quarta rodada do Campeonato Brasileiro, teve a oportunidade de provar que foi injustiçado. Na Raposa, Mancini ajudou a livrar a equipe do rebaixamento em 2011 e conquistou apenas um terceiro lugar no Campeonato Mineiro de 2012. Mas não foi dessa vez que o ex-treinador celeste conseguiu vencer os antigos comandados. O Cruzeiro, do técnico Celso Roth, derrotou o Leão por 1 a 0 e colou no G-4, na quinta posição (perde para o Inter nos critérios de desempate. O gol da equipe mineira foi marcado por Wellington Paulista, de pênalti, aos 26 minutos do segundo tempo.

A partida, na maior parte do tempo, foi morna, sem muitas chances de gol. Cruzeiro e Sport priorizaram a defesa, e as oportunidades, principalmente na primeira etapa, praticamente inexistiram. Depois do intervalo, com as alterações de Celso Roth e a mudança para o esquema com três atacantes (Wellington Paulista, Fabinho e Anselmo Ramon), a Raposa cresceu e teve bons momentos. O Sport, sempre priorizando os contra-ataques, teve pouquíssimas chances.

Com o resultado, o Cruzeiro, ainda invicto no Brasileirão, chegou aos oito pontos. O Sport, após a primeira derrota, está em 11º lugar, com cinco.

Na próxima rodada, o Cruzeiro encara o Figueirense, no sábado, às 18h30m (de Brasília), no jogo que marcará a volta da equipe a Belo Horizonte. A partida está marcada para o estádio Independência. O Sport, no domingo, às 16h, encara o Bahia, no Pituaçu, em Salvador.

Sem Neymar, Paulo Miranda dá volta por cima, e São Paulo vence Santos

Pegue Rogério Ceni, Wellington, Casemiro e Luis Fabiano. Junte aos santistas Rafael, Fucile, Edu Dracena, Juan, Arouca, Elano, Ganso, Neymar e Borges. Coloque todos na mesma panela e forme um time favorito a qualquer título no futebol nacional. Mas tire-os de São Paulo x Santos e tenha um dos clássicos mais deprimentes, monótonos, sem qualidade e vazios do Campeonato Brasileiro. Até o público se preservou: 6.327 pagantes.

Muricy Ramalho poupou porque na quarta-feira terá pela frente o Corinthians, na semifinal da Libertadores. Opção, questão de prioridade. Emerson Leão só não teve os lesionados e suspensos, além de Casemiro, que voltou da seleção brasileira e pediu para não jogar. Ao contrário de Lucas, que se colocou à disposição e foi escalado. O São Paulo poupou futebol, como tem feito em boa parte da temporada. Mas sua sobra foi mais eficiente do que a sobra santista: 1 a 0, gol de uma grande ironia do destino. De Paulo Miranda.

Na semifinal do Paulista, o zagueiro fez pênalti e levou baile de Neymar, a ponto de ser afastado pela diretoria à revelia de Leão, em episódio que escancarou a crise entre os cartolas e o técnico. Neste domingo, sem o craque pela frente, Paulo Miranda teve atuação segura e, finalmente, marcou seu primeiro gol pela equipe. Nada como um San-São após o outro...

- Estava precisando marcar um gol importante. Tive a oportunidade justamente contra o Santos e consegui - comemorou o zagueiro.

No Santos, o veterano Léo, de 37 anos, cobrou mais participação dos jovens. Felipe Anderson começou como titular, e Dimba e Victor Andrade entraram na segunda etapa.

- Os valores que estão aqui têm de produzir. Se vestem a camisa do Santos é porque têm valor, então precisam colocar para fora o que têm de melhor. Têm de apoiar mais.

No Brasileirão, as equipes voltam a campo no próximo domingo. O São Paulo, que chegou aos seis pontos, ocupa a sétima posição e recebe o Atlético-MG, enquanto o Peixe, estacionado nos três, em 16º, visitará o Flamengo no Engenhão. Mas os torcedores estão de olho no meio de semana. O clássico contra o Corinthians pela Libertadores, na Vila Belmiro, será a missão santista. Já os tricolores terão pela frente o Coritiba, no primeiro jogo da semi da Copa do Brasil.

Vasco derrota o Bahia, mantém liderança e 100% de aproveitamento

Com belos gols de Juninho e Diego Souza, o Vasco venceu o Bahia por 2 a 1 neste domingo, no estádio do Pituaçu, e manteve a liderança e o aproveitamento de 100% nestas quatro primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, somando 12 pontos. No sábado, o Atlético-MG havia chegado a dez pontos ao bater o Palmeiras, pressionando os cruz-maltinos.

Nem o apoio da torcida que foi em bom número ao estádio (17.908 pagantes) foi suficiente para o Bahia ter sucesso - continua sem ganhar e soma dois pontos, mantendo-se na zona de rebaixamento, em 17º lugar. No fim da partida, os torcedores pediram "queremos jogador". Os vascaínos, que encheram o espaço destinado aos visitantes, gritaram "olé" nos minutos finais.

O Vasco marcou seus dois gols ainda na primeira etapa, quando teve ótimo desempenho ofensivo. Finalizou dez vezes, uma delas na trave (em cabeceio de Alecsandro) e outra que parou em defesa milagrosa de Marcelo Lomba (em chute de Fellipe Bastos). Juninho voltou a marcar de falta depois de nove meses, e Diego Souza aplicou belo drible em Tite e, cara a cara com Marcelo Lomba, deu um toque por cobertura. Júnior, já aos 49 minutos do segundo tempo, descontou para os baianos.

No segundo tempo, o Bahia pressionou o Vasco, parando muitas vezes em Fernando Prass, que fez cinco defesas difíceis na partida. O goleiro comentou a importância de largar bem no campeonato, citando o exemplo do Corinthians, que em 2011 acumulou nove vitórias e um empate nas dez primeiras rodadas e foi campeão.

- A gente sabe o quão importante é começar bem o campeonato. O Corinthians no ano passado foi campeão, e o que desequilibrou foi o começo.

O zagueiro Titi, que atuou pelo Vasco em 2009 e 2010, lamentou a derrota, mas pediu tranquilidade para o Bahia sair dessa situação.

- Trabalhamos, nos dedicamos a semana toda para conseguir os três pontos. Criamos, chutamos a gol e infelizmente não conseguimos reverter em resultado. Precisamos ter tranquilidade e não achar que está tudo errado, até porque até a final do Baiano estava tudo certo.

A partida marcou o retorno de Dedé depois de dois meses afastado por causa de um edema ósseo no pé. Ele entrou em campo aos 11 minutos do segundo tempo na vaga de Rodolfo, que se machucou. Fagner foi desfalque de última hora, por causa de dores no joelho direito e na região pubiana, e foi substituído por Allan.

O Vasco volta a campo no próximo domingo, às 16h, para enfrentar o Palmeiras na Arena Barueri. No mesmo dia e horário, o Bahia recebe o Sport no Pituaçu.

Titulares desequilibram, Grêmio vence e deixa Corinthians na lanterna

Com jogos importantes no meio de semana, por Copa do Brasil e Libertadores, respectivamente, Grêmio e Corinthians optaram por estratégias diferentes para o duelo deste domingo. Enquanto os gaúchos entraram com força máxima, os paulistas foram com os reservas. E pagaram caro. Os donos da casa fizeram 2 a 0, com gols de Marco Antonio e André Lima, e chegaram a três vitórias seguidas. Somam nove pontos e firmam pé na turma de cima do Brasileirão, na terceira colocação. Em quatro rodadas, o Timão se situa pela primeira vez na lanterna, com um ponto, um gol marcado e três derrotas - duas com time suplente.

Werley, recuperado de lesão na coxa direita, substituiu Gilberto Silva, que foi poupado e começou o jogo no banco de reservas, entrando apenas aos 32 minutos do segundo tempo. O zagueiro teve boa atuação, embora ainda sinta resquícios da lesão.

- Eu ainda sinto dores para bater na bola, mas nada que me impeça de estar em campo. Treinei três dias para este jogo e hoje me senti melhor. Dói às vezes, outras não. Tem de passar por cima, tentar superar - afirmou após a partida.

O técnico Tite aprovou a atuação dos seus reservas, embora reconheça que o Corinthians se perdeu depois de sofrer o primeiro gol.

- Começamos bem e fizemos bons 20 minutos, mas temos uma equipe nova, com garotos de 17, 18 e 19 anos. Os atletas precisam de maturidade para serem usados mais vezes. O segundo tempo foi equilibrado. O nosso erro foi se desestabilizar com o gol. Na volta do intervalo, conseguimos corrigir, mas faltou infiltração

Agora, Grêmio e Corinthians se voltam para as competições em que estão na fase semifinal. Na quarta-feira, às 21h50m, os gaúchos recebem o Palmeiras pela Copa do Brasil. O time paulista, na Vila Belmiro, desafia o Santos, pela Libertadores.

Em jornada pouco inspirada, Flu e Inter não saem do zero no Engenhão

Fluminense e Internacional protagonizaram, há pouco mais de um mês, dois jogos espetaculares pela Libertadores - na ocasião, os cariocas levaram a melhor e eliminaram os gaúchos. Neste domingo, cheias de desfalques, as equipes voltaram a se enfrentar, no Engenhão, em partida da quarta rodada do Brasileirão. Ao fim de 90 minutos, houve poucas emoções, e o placar acabou por não ser alterado: 0 a 0.

Com o resultado, o Colorado aparece na quarta colocação, com oito pontos, enquanto o Tricolor, que acumula três empates em seus últimos jogos, é o décimo, com seis. Na quinta rodada, o Fluminense recebe a Portuguesa, às 21h de sábado, no Engenhão. Já o Inter pega o Botafogo, no mesmo dia, no Beira-Rio.

Lusa faz bom segundo tempo e bate Atlético-GO, que segue sem vencer

Moisés é o nome da persistência na Portuguesa. Ele perdeu gol incrível, na cara de Roberto. Depois cobrou falta com muita força e viu outra bela defesa. Mas não desistiu. E num lance raro, de infração por recuo de bola que o goleiro pegou com a mão, chutou de pé direito, fez o segundo gol e decretou a vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-GO.

A Lusa teve de ser persistente, já que brilho e técnica não são ingredientes comuns ao bacalhau de Geninho em 2012. Depois de ter sido melhor no primeiro tempo, mas com domínio traduzido em chances de bola parada, o treinador colocou Ricardo Jesus, chegou ao primeiro gol e dominou completamente o rival. Enquanto o pentacampeão mundial Dida não estreia, Gledson fez partida seguda, com duas defesas difíceis.

Se Moisés traduziu a luta dos rubro-verdes no primeiro triunfo no Campeonato Brasileiro, Paulo Henrique é a cara de um Atlético-GO que demitiu Adilson Batista depois de apenas uma derrota, recontratou Hélio dos Anjos e continua sem vencer na competição. O zagueiro fez faltas em excesso, falhou em saídas de bola, na marcação e ainda recuou a bola na fogueira para o goleiro Roberto, em lance que culminou no gol decisivo.

No próximo sábado, a Lusa, que tem quatro pontos, na 12ª posição, tem duro compromisso no Engenhão, às 21h (de Brasília), contra o Fluminense. Já o time de Goiânia, em 18º, com dois pontos, terá uma semana para se recuperar de mais um mau resultado e enfrentar o Coritiba, no Couto Pereira, domingo, às 18h30m.

Ronaldinho estreia, Atlético-MG bate Palmeiras e dorme líder do Brasileiro

Para o Palmeiras, era o último ensaio antes da primeira semifinal da Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Grêmio. Para o Atlético-MG, além da estreia de Ronaldinho, existia a certeza de que uma vitória valeria a liderança provisória do Campeonato Brasileiro. No jogo realizado na fria noite deste sábado, no estádio do Pacaembu, o R49 buscou jogo, se movimentou, acertou passes, mas não foi brilhante. Não precisou. O Galo, bem superior ao Verdão, venceu com justiça por 1 a 0, foi aos dez pontos na tabela de classificação e mostrou que pode ir longe neste ano.

Com mais um tropeço, o terceiro consecutivo, o Verdão segue na zona de rebaixamento, com apenas um ponto conquistado. Caso a Portuguesa vença o Atlético-GO neste domingo, o time de Palestra Itália terminará a rodada em último. As duas bolas no travessão em faltas cobradas por Marcos Assunção nos minutos finais da partida fizeram enorme diferença. Por centímetros, o clima do Verdão seria outro.

Pelo Nacional, a equipe paulista buscará a reabilitação no próximo domingo, contra o Vasco, novamente no estádio do Pacaembu. O Galo voltará a campo no mesmo dia, contra o São Paulo, no Morumbi.

Enfim, vitória: Fla sofre, mas encerra série de empates e bate o Coritiba

Enfim, uma boa notícia para rubro-negros. Após viver dias conturbados desde a saída de Ronaldinho Gaúcho e de ter até sua sede assaltada, o Flamengo conquistou um triunfo. Com sofrimento, é verdade, mas os três pontos estão no bolso. O placar de 3 a 1 diante do Coritiba no Engenhão, sob chuva e pressão persistentes, põe fim a uma incômoda série de três empates e garante um sopro de paz na Gávea. O time acumula seis pontos na tabela do Brasileirão e, até os jogos deste domingo, ocupa a sexta posição.

O Coritiba foi um adversário duro e terminou o jogo com mais finalizações do que o adversário (13 a 11), mas se perdeu nos primeiros 15 minutos, justamente quando o Flamengo conseguiu abrir 2 a 0, com gols de Vagner Love e Luiz Antonio. O zagueiro Emerson diminuiu ainda na etapa inicial, mas no segundo tempo os paranaenses desperdiçaram ótimas chances para empatar. Já nos acréscimos, o estreante Hernane fez o gol do alívio flamenguista. O Coxa soma três pontos e está em 11º lugar.

A vitória dá sobrevida ao técnico Joel Santana, que está em processo de fritura, não conta mais com a paciência da cúpula de futebol e precisa de uma boa sequência de resultados para seguir no cargo. Após a partida, ele reclamou do excesso de críticas ao time e tentou justificar alguns resultados decepcionantes recentemente.

- Do dia que cheguei, há quatro meses, para hoje: olha quanto foi modificada essa equipe. Aqui no Flamengo se faz time da noite para o dia? Dorme e acorda com a equipe pronta? Isso não é fácil.

No Coritiba, o lamento geral foi pelos dois gols sofridos no começo do jogo. O goleiro Vanderlei disse que o time entrou com muito sono, e o técnico Marcelo Oliveira ressaltou que é preciso ter atenção o tempo todo.

- Tem que jogar os 90 minutos. Cobrei dos jogadores no vestiário e deu certo. Voltamos no segundo tempo com mais força, mas não traduzimos em gol.

Na primeira partida sem Ronaldinho Gaúcho no Engenhão, a torcida do Flamengo se manisfestou contra o atacante, agora jogador do Atlético-MG. Com uma faixa, demonstrou que ainda está na bronca com o ex-camisa 10. No fim, cantou: "Ô, Ronaldinho, pode esperar, a sua hora vai chegar".

Na quinta rodada, o Flamengo vai jogar outra vez em casa. No domingo (17 de junho), recebe o Santos no Engenhão, às 16h. No mesmo dia, o Coxa enfrenta o Atlético-GO no Couto Pereira, às 18h30m. Antes, porém, abre a disputa da semifinal da Copa do Brasil contra o São Paulo. O jogo de ida será na quinta-feira, no Morumbi, às 21h.

0 comentários:

Postar um comentário