Marcadores:

Eurocopa 2012 (Grupo D) - 3ª rodada: França perde série invicta com golaço de Ibra, mas avança e encara a Fúria

A França até garantiu a vaga nas quartas de final da Eurocopa com a derrota para a Suécia por 2 a 0 nesta terça-feira. Só que o resultado deixou cicatrizes. Primeiro porque os Bleus deixaram escapar a primeira colocação do Grupo D e vão ter que encarar nas quartas a Espanha - sábado, em Donetsk - duelo que o treinador Laurent Blanc gostaria de evitar. Segundo porque os franceses, que não perdiam desde setembro de 2010, em jogo contra a Bielorrússia, deixaram cair uma invencibilidade de 23 jogos. A Suécia dá adeus ao torneio, mas pode se orgulhar do golaço de voleio de Ibrahimovic no início do segundo tempo. Larsson completou o marcador.

A França termina sua participação no Grupo B na vice-liderança, com 4 pontos. A outra vaga da chave fica com a Inglaterra, que derrotou a Ucrânia por 1 a 0 também nesta terça, e terminou na ponta (com 7). Na próxima fase, os britânicos encaram a Itália. Os donos da casa, em terceiro, deixam a competição junto com os suecos.

Mesmo com a eliminação precoce, a torcida escandinava não desanimou e compareceu em maior número no Estádio Olímpico de Kiev, ignorando o forte calor de 30 graus que fazia na noite da capital ucraniana.

Primeiro tempo morno

A França foi a campo com duas novidades: M'Villa se recuperou de uma lesão no tornozelo e fez seu primeiro jogo como titular nesta Euro no lugar de Cabaye, enquanto Ben Arfa ganhou a vaga de Ménez. Na Suécia, Bajrami e Toivonen substituíram, respectivamente, Elm e Elmander (este último com problemas de lesão).

Atuando toda de branco, com seu uniforme reserva, a França começou melhor e não demorou muito a criar uma boa chance. Ribéry, aos 7, aproveitou bobeada da defesa sueca e teve liberdade para chutar, mas nas mãos do goleiro Isaksson.

Pouco depois, foi a vez de o zagueirão francês Méxes devolver a gentileza da defesa adversária e dar espaço para que Toivonen invadisse a área com muita liberdade. Só com o goleiro francês pela frente, o camisa 20 errou a mira e acertou a trave, perdendo a melhor chance do jogo no primeiro tempo.

À medida que o tempo foi passando, porém, a França começou a jogar com o regulamento debaixo do braço. A vantagem de poder empatar era confortável e fez com que o time de Lauren Blanc não se arriscasse sem necessidade no ataque. A posse de bola era quase sempre francesa, e Ribéry e companhia tinham até mais chutes. Só que nada de chances reais de gol.

As equipes seguiram atuando de forma burocrática, e, na única boa chance que surgiu, Ribéry recebeu na intermediária, foi carregando e chutou da entrada da área. Mellberg, porém, dificultou a vida do francês e travou a finalização. E foi só.

Ibra resolve

As equipes voltaram do intervalo com a mesma atitude da primeira etapa. Na realidade, a grande novidade veio de Donetsk, já que Rooney abriu o placar para a Inglaterra, resultado que rebaixava a França para o segundo lugar do grupo. A situação dos Bleus ficaria pior aos 8. Ibrahimovic recebeu cruzamento da direita e fez um golaço de voleio, sem nenhuma chance para Lloris.

A Suécia cresceu com o gol, e logo em seguida o goleiro francês teve que trabalhar duas vezes em um curto intervalo de tempo. Primeiro, em chute de Wilhelmsson, e, em seguida, na cabeçada de Mellberg. A pressão escandinava, porém, não durou muito, e a França retomou o domínio de bola.

A artilharia francesa contava com finalizações de Benzema, Nasri e M'Vila. Só que do outro lado havia um seguro Isaksson, que contava com uma fechada defesa sueca. A França ficava só nas tentativas, mas, ao menos, não era ameaçada em sua meta e ia garantindo a vaga.

Os Bleus não fizeram a pressão resultar em gol e ainda viram a Suécia marcar seu segundo gol pouco antes do apito final. Holmén acertou o travessão e, no rebote, Larsson encheu o pé para ampliar, dando números finais ao duelo: Suécia 2 x 0 França.

0 comentários:

Postar um comentário