Marcadores:

Camp. Brasileiro Série A: 9ª rodada


Ataque funciona bem, e Sport vence a Portuguesa na Ilha do Retiro

Sport e Portuguesa fizeram um belo jogo na Ilha do Retiro, marcado pelo equilíbrio. Mas o Leão foi mais competente e conseguiu bater a Lusa por 2 a 1, com gols de Henrique e Gilberto para o time pernambucano, e Moisés descontando para os paulistas num belo chute. Mais de 17 mil torcedores compareceram à Ilha e vibraram bastante com a vitória que deixou o Rubro-Negro mais longe da zona de rebaixamento. Com o resultado, o Sport chega à 11ª posição, com 12 pontos. A Lusa caiu para o 15º lugar, com oito, apenas um acima do Coritiba, mais bem colocado dos integrantes do Z-4.

- Melhor impossível. Conseguimos vencer, e marquei na minha estreia. Vamos descansar e focar no Grêmio, pois já temos uma outra pedreira na quarta-feira - disse o atacante Gilberto, que estreou com a camisa do Sport.

Autor de um golaço, o volante Moisés lamentou sair da Ilha do Retiro sem ponto algum.

- Jogamos bem, mas não conseguimos a vitória. Temos que acertar isso, porque o campeonato está correndo e precisamos pontuar fora de casa - lamentou o volante da Lusa.

Na próxima rodada, o Sport visita o Grêmio, quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), no Olímpico; a Portuguesa recebe o Cruzeiro, também na quarta, mas às 20h30m.

Palmeiras busca empate e evita 'faixa carimbada' pelo São Paulo

Não teve ressaca pelo título da Copa do Brasil, nem faixa carimbada por um dos maiores rivais. Com um a menos, o Palmeiras contou com o talismã Mazinho para buscar o empate por 1 a 1 com o São Paulo, neste domingo, em Barueri, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. No primeiro jogo depois da conquista nacional, o Verdão jogou bem e ouviu gritos de "É campeão" de sua torcida. Já o Tricolor, que estreou o técnico Ney Franco e o zagueiro Rafael Toloi, abriu o placar, mas ainda mostrou desorganização que precisará ser corrigida pelo novo comandante.

O empate leva o Palmeiras aos seis pontos, ainda na zona de rebaixamento, mas com a esperança de que essa situação será resolvida em pouco tempo. Mesmo com a expulsão de Henrique, no início do segundo tempo, o time não se assustou e manteve o padrão tático que lhe deu o título nacional na semana passada. A torcida saiu satisfeita, já que o Verdão teve volume de jogo e só não conseguiu a vitória porque Denis fez grandes defesas - incluindo um pênalti cobrado por Valdivia.

O Tricolor vai a 16 pontos, mantém a perseguição aos líderes, mas fica fora da zona de classificação para a Taça Libertadores. Ney Franco implantou um novo esquema tático, mas ainda não obteve frutos no seu primeiro jogo. Luis Fabiano voltou ao time e abriu o placar, mas sua irritação o impediu de levar mais perigo ao gol adversário no decorrer da partida.

Na próxima rodada, o Palmeiras volta ao palco do título da Copa do Brasil: enfrenta o Coritiba na quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), no Couto Pereira. O São Paulo recebe o Vasco na quarta-feira, às 21h50m, no Morumbi.

Vasco faz dever de casa, vence Atlético-GO e encosta no líder

O gol foi contra, o Atlético-GO mandou bola no travessão, na trave e Fernando Prass fez uma defesa incrível no último minuto. Mas, mesmo sem muitos predicados a contar, o Vasco cumpriu a missão e venceu o lanterna do Campeonato Brasileiro por 1 a 0 na noite deste domingo, em São Januário.

O resultado recoloca o time na segunda posição, a dois pontos do Atlético-MG (22 a 20). Mas no duelo da noite deste domingo, o Vasco não brilhou e passou por apuros, diante dos 6.526 torcedores que pagaram ingresso na Colina. No fim do jogo, Felipe admitiu a atuação pouco inspirada dos donos da casa:

- A equipe jogou mal, mas o importante é somar os pontos. Fora de casa esses times de menor expressão jogam sem pressão, acabam jogando melhor. Mas somamos três pontos e estamos no bloco de cima - disse o camisa 6 à Rádio Globo.

Ruim de mira, o Dragão empilhou chances perdidas e volta para Goiânia com mais uma derrota (a sétima em nove rodadas). O time permanece na última posição, com dois pontos.

- Nós lutamos, fizemos um bom jogo. Tivemos três chances claras, finalizamos na trave. Mas não vamos desistir. O Vasco teve uma ou duas chances. Não vamos nos entregar facilmente - disse o atacante Felipe ao canal Premiere.

Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o São Paulo no Morumbi. O jogo será quarta-feira, às 21h50m. Na quinta, o Atlético-GO recebe o Figueirense no Serra Dourada.

Com arbitragem polêmica e um a menos no 2º tempo, Fla bate Bahia

O Bahia pressionou, martelou, chutou bem mais que o rival (14 a 6), mas não comemorou a vitória no estádio de Pituaçu, em Salvador, neste domingo. Diante de 29.206 pagantes, assistiu a um triunfo do Flamengo por 2 a 1, gols de Hernane e Renato – Kleberson descontou - pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Longe de ser brilhante, o time carioca venceu à base de raça e com boa atuação do goleiro Paulo Victor.

A arbitragem de Francisco Carlos Nascimento desagradou às duas equipes. Aos 44 minutos do primeiro tempo, Luiz Antonio foi expulso em lance discutível e deixou o Fla com um jogador a menos em toda a etapa final. A reclamação baiana incide no pênalti que deu origem ao gol da vitória rubro-negra. Ibson disputou a jogada com Fabinho, mas não houve falta no lance, segundo o comentarista de arbitragem da TV Globo, Renato Marsiglia.

O time tricolor não vence há quatro jogos e permanece na zona de rebaixamento, com oito pontos, em 18º lugar. O Rubro-Negro, com 15, recupera-se da derrota para o Fluminense na rodada anterior e continua em nono lugar. O time ganhou uma partida oficial fora do estado do Rio depois de nove meses (11 jogos). Ao fim do duelo, alguns atletas do time carioca, como o zagueiro Arthur Sanches, se emocionaram e agradeceram o apoio da torcida.

- Essa vitória representa muita coisa. Mostramos mais uma vez superação, o trabalho bem feito com o Joel. Nosso time cresce a cada jogo. Mesmo com um jogador a menos, conseguimos jogar. Os mais jovens estão de parabéns porque souberam administrar o jogo e ajudar. Os mais velhos, com experiência, puderam ajudar. Espero que essa vitória possa representar muito aí - disse o meia Renato, que se igualou a Vagner Love na artilharia do time no Brasileiro, com quatro gols.

Ex-cruzeirenses Marcelo Moreno e Kléber brilham, e Grêmio bate Raposa

Como se jogasse em casa, até mesmo com seu artilheiro aplaudido pelo torcedor adversário, o Grêmio não tomou conhecimento do Cruzeiro e bateu o time mineiro por 3 a 1, neste domingo, no Independência, em Belo Horizonte. Os gols gaúchos foram marcados por ex-cruzeirenses: Marcelo Moreno (dois) e Kléber. No fim, Wellington Paulista ainda descontou de pênalti. A vitória fez o Tricolor colar no G-4, agora em sétimo, com 15 pontos. A Raposa amargou o terceiro réves seguido e caiu para o décimo lugar, com 14 pontos.

O dia era de estreias. Borges pelo lado cruzeirense, e Elano pelo gremista. Mas bastou a bola rolar para os dois saírem um pouco de foco e darem espaços a outros personagens. Eficiente e letal, o Grêmio chegou poucas vezes, mas não perdoou quando teve chance. Sem culpa pela falta de criatividade celeste, Marcelo Moreno e Kléber não perdoaram. O Cruzeiro lutou muito, mas não teve competência. Nem mesmo no segundo tempo, com um homem a mais, se mostrou mais consciente que a equipe de Luxemburgo, que merecidamente levou a melhor.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, os dois times jogam na quarta-feira. No Estádio Olímpico, em Porto Alegre, os gaúchos encaram o Sport, às 19h30m (de Brasília). Uma hora depois, às 20h30m, a Raposa enfrenta a Portuguesa, no Estádio Canindé, em São Paulo.

Inter e Santos sentem ausência de convocados e ficam no empate

Faltou Oscar, Leandro Damião, Ganso e Neymar. Em um confronto entre equipes prejudicadas diretamente com a perda de craques para a seleção brasileira que embarca nesta segunda para disputar as Olimpíadas de Londres, Inter e Santos ficaram sem gols no Beira-Rio. Na tarde deste domingo, empataram por 0 a 0, em jogo válido pela nona rodada do Brasileirão.

Mesmo com a expulsão do lateral-esquerdo Juan no início da segunda etapa, o time gaúcho não conseguiu se impor e deixou o gramado vaiado. Com o resultado, o Inter perdeu a chance de entrar no G-4, ficando com 16 pontos, permanecendo igual ao Botafogo, mas atrás pelo número de vitórias.

- Houve entrega até o último minuto. Tem dia que bate, bate e a bola não entra. Não deu, mas um ponto é importante - valorizou Bolívar.

Já o Santos foi a nove pontos e se manteve fora da zona de rebaixamento. A equipe teve chances de sair com a vitória, mas não conseguiu fazer o gol. No fim, Muricy Ramalho ficou na bronca com a arbitragem por causa da expulsão de Juan.

- Tivemos chance de ganhar o jogo, mas a arbitragem nos prejudicou demais. O lance do Juan foi bobo - reclamou Muricy Ramalho.

Ao se aproveitar da falta de entrosamento de um meio-campo inédito colorado, o Peixe tomou a iniciativa da partida, mas sem intensidade. Enquanto sobravam balões e lançamento para a área, faltava qualidade para a definição de jogadas, com exceção de Felipe Anderson, que chamava a responsabilidade da armação.

Aos poucos, a “gurizada” do Inter começou a se achar, e apareceram chances de gol. A melhor delas foi aos nove minutos, quando Dagoberto fez lançamento rasteiro por trás da defesa para Mike, uma das novidades promovidas por Dorival na partida. Mas, na hora da definição, o garoto viu Aranha sair da meta e fechar o ângulo com perfeição, evitando a abertura do marcador.

Depois, foi a vez de Jajá ser lançado na área, aos 22 minutos. O meia-atacante teve oportunidade de efetuar o disparo frontal, mas perdeu o ângulo e a chance. Preferiu o cruzamento alto, que saiu errado para Dagoberto.

Aos 33, Dagoberto cobrou falta na área, e a bola bateu no braço de Durval dentro da área. Os colorados reclamaram de pênalti no lance, mas o árbitro achou o lance normal.

A partida era truncada, um jogo com cara de 0 a 0. Se faltava a irreverência e a técnica de Neymar no Santos, o Inter acusava a ausência da presença de área de Leandro Damião. E o que se via era um jogo frio, como a temperatura de Porto Alegre.

Em clássico equilibrado, Botafogo e Fluminense ficam no empate: 1 a 1


O começo foi animador. Teve bola na trave, boa defesa de goleiro... Depois, o Clássico Vovô na tarde deste domingo, no Engenhão, foi marcado pelo equilíbrio sem muitas jogadas brilhantes. E se tanto Botafogo e Fluminense, com boas campanhas no Brasileirão, precisavam de uma vitória para não ficarem distantes do líder Atlético-MG, o empate por 1 a 1, com um público que merecia ser maior - 17.122 torcedores encararam o raro frio carioca -, acabou sendo justo.

Os dois gols, no segundo tempo, foram de cabeça. Fred abriu o placar para o Flu, e Andrezinho, sob os aplausos de Seedorf e Rafael Marques, empatou para o Botafogo. O resultado não foi maravilhoso, mas mantém os times em boa posição na tabela. O Flu, ainda invicto, é vice-líder, com 19 pontos. O Botafogo, que obteve seu primeiro empate na competição, soma 16, na quarta colocação.

Roger brilha, lidera goleada da Ponte sobre o Coritiba e chega à artilharia

Em uma atuação de gala, Roger voltou em grande estilo e comprovou, com gols, sua importância para a Ponte Preta. Após cumprir suspensão na vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, o camisa 9 marcou três vezes e liderou a Macaca na goleada em cima do Coritiba por 4 a 1, na noite deste sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela nona rodada do Brasileirão. Os gols deixam o atacante na liderança da artilharia da Série A. Agora com seis, deixou para trás Alecsandro, do Vasco, e Araújo, do Náutico, que dividiam o posto, com cinco. Ricardinho marcou o outro da Macaca. Pereira descontou para os visitantes.

- Estou vivendo um momento especial. Já tinha feito dois gols por diversas vezes, mas nunca três. É a primeira vez. Estou muito feliz - comemorou Roger.

O resultado, conquistado diante 2.857 pagantes (para uma renda de R$ 27.940,00), embala a Ponte, com dois triunfos seguidos, e aumenta a ressaca do Coritiba. Vice da Copa do Brasil na última quarta-feira, o Coxa sofreu a terceira derrota seguida no Brasileirão e entrou na zona de rebaixamento. Com sete pontos, caiu para a 17ª colocação. O meia Rafinha deixou o campo envergonhado.

- Foi ridículo o que o time apresentou aqui. Falhas individuais, que cabe ao professor ver e analisar. Não será eu que vou falar nome de alguém, isso é um trabalho para o treinador mostrar para a gente. Hoje (sábado) foi feio, difícil falar em uma derrota como essa.

Em situação bem mais confortável, a Macaca cumpriu a meta de fazer 100% nas duas partidas seguidas como mandante. Chegando aos 15 pontos, ganhou três posições e subiu para a sétima colocação, na cola do G-4. No complemento da rodada, porém, foi ultrapassada pelo Grêmio e terminou o fim de semana em sétimo. Na quarta-feira, volta a testar a boa fase, contra o Náutico, nos Aflitos, a partir de 20h30m (de Brasília). Na quinta, o Coritiba recebe o Palmeiras, na reedição da final da Copa do Brasil.

Em virada incrível, Atlético-MG faz 4 a 3 no Figueirense e dispara na ponta

A torcida do Figueirense compareceu ao estádio Orlando Scarpelli para prestigiar a estreia da maior estrela do elenco catarinense: o uruguaio Loco Abreu. Os torcedores até que viram uma boa atuação do atacante enquanto ele esteve em campo, até os 18 minutos da etapa final, quando foi substituído, e os catarinenses venciam por 3 a 1. Porém, logo depois, acabaram presenciando uma vitória épica do Atlético-MG por 4 a 3, a sétima da equipe mineira no Campeonato Brasileiro. Com mais uma grande atuação, em 11 minutos o Galo fez três gols e virou o jogo. Os gols foram marcados por Anderson Conceição, Júlio César e Ronny, para o Figueira, e por Ronaldinho Gaúcho, de pênalti, Leonardo Silva, Bernard e Guilherme, para o Galo.

R49, a propósito, além de marcar o segundo gol com a camisa do clube mineiro, o segundo em cobrança de pênalti, fez bons lançamentos e contribuiu positivamente para o Atlético-MG. Porém, quem realmente brilhou foi o atacante Guilherme, que retornou ao time, depois de longo período de recuperação de uma contusão. O jogador entrou no intervalo da partida, quando o Galo perdia por 2 a 1, e foi muito importante para o resultado. O gol deu novo ânimo ao atleta, que, aos poucos, deverá voltar ao time titular.

Com o resultado, o Atlético-MG se mantém na liderança do Brasileirão, com 22 pontos, independentemente dos outros resultados deste domingo. Já o Figueirense, com outra derrota, segue na 16º lugar, com oito pontos.

Na próxima rodada, o Atlético-MG enfrentará o Internacional, nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no estádio Independência, em Belo Horizonte. O Figueirense, por sua vez, visitará o Atlético-GO, nesta quinta-feira, às 21h, no Serra Dourada, em Goiânia.

Danilo relembra Libertadores; Timão bate Náutico e deixa zona da degola

Meia hora antes do início do duelo entre Corinthians e Náutico, o sistema de som do Pacaembu tocava um dos grandes sucessos do samba nacional: “O show tem que continuar”. É por isso que mais de 23 mil pagantes foram ao estádio para fazer o Timão reagir no Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o Timão fez 2 a 1 no Timbu, dois gols de Danilo, venceu pela primeira vez desde a conquista da Taça Libertadores e saiu da zona de rebaixamento, pelo menos até este domingo. O “show” continua, agora pela competição nacional.

Nome fundamental na Libertadores, Danilo voltou a mostrar caráter decisivo. Os dois belos gols do meia fizeram o Pacaembu explodir e reviver o clima de dez dias atrás, nos 2 a 0 sobre o Boca Juniors. O resultado fez o Timão “começar” o Brasileiro. Depois de nove rodadas, são oito pontos somados, mesmo número de Figueirense, Santos e Bahia - E com os resultados da rodada, pela primeira vez o time não fica na zona de rebaixamento.

O Náutico, por outro lado, permanece com 10 pontos, na zona intermediária da tabela. A equipe treinada por Alexandre Gallo até saiu na frente, gol de Elicarlos, mas sofreu o empate no minuto seguinte e se perdeu. O Timbu deixou de ser o algoz corintiano: nos cinco confrontos diretos antes deste sábado, eram cinco vitórias pernambucanas.

Na próxima rodada, o Timão visita o Flamengo na quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), no Engenhão. No mesmo dia, o Náutico recebe a Ponte Preta, nos Aflitos, às 20h30m.

0 comentários:

Postar um comentário