Marcadores:

Camp. Brasileiro Série A: 15ª Rodada


Ponte Preta segura Grêmio, que empata a primeira no Brasileirão

Ponte Preta e Grêmio entraram em campo, na noite desta quinta-feira, com a missão de abrir vantagem na tabela do Brasileirão. No G-4, o Tricolor buscava se distanciar do arquirrival Inter, quinto colocado, e não dar mole para o São Paulo. Em posição intermediária, a Macaca entrou em campo com o Flamengo no retrovisor. Mas depois de 90 minutos de muita marcação e pouca inspiração, as duas equipes atingiram parcialmente o objetivo: somaram mais um ponto com o empate em 0 a 0 no Moisés Lucarelli, em Campinas.

O Grêmio empatou a primeira partida em 15 rodadas, chegou aos 28 pontos e segue na quarta colocação - um ponto à frente do Colorado, três do Tricolor Paulista. A Ponte Preta, em nono lugar, agora soma 20 pontos.

O centroavante Roger considerou um bom resultado para a Macaca.

- Foi um bom jogo. As duas equipes mostraram muita disposição. Sinceramente, foi a partida mais difícil que eu joguei até agora no Brasileirão. Os caras marcaram muito em cima, mas empatar com o Grêmio não é nada mau.

Kleber adotou o mesmo tom, porém, com um adendo.

- Ficamos ainda no bolo da tabela, mas sabiamos que poderíamos ter vencido. Criamos algumas oportunidades, mas não conseguimos. A Ponte vai tirar ponto de muita gente aqui.

No domingo, às 16h (de Brasília), as duas equipes jogarão fora de casa. O Grêmio desafia o São Paulo, no Morumbi, e a Ponte Preta vai a Porto Alegre encarar outro gaúcho: o Internacional, no Beira-Rio.

Pelos pés de R49, Galo faz 1 a 0 no Coxa e se mantém líder do Brasileiro

Foi no sufoco, apesar do domínio maciço durante toda a partida. Mas o Atlético-MG fez valer o mando de campo e o melhor futebol e se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro. Com um gol de cabeça de Réver, no segundo tempo, após cobrança de escanteio de Ronaldinho Gaúcho, o Galo venceu o Coritiba na noite desta quinta-feira, no Estádio Independência. Festa dos mais de 19 mil atleticanos na arena.

O gol solitário do zagueiro fez com que o Galo chegasse aos 35 pontos, um ponto a mais e um jogo a menos que o vice-líder, o Vasco. Apesar de Réver ter sido o autor do tento do triunfo atleticano, Ronaldinho Gaúcho, ao exibir toda a sua qualidade, foi decisivo para mais uma vitória do Atlético-MG e acabou como destaque da partida.

Satisfeito com a atuação, o zagueiro atleticano disse que a jogada do gol da vitória - escanteio batido no primeiro pau na medida para a chegada de um homem de trás - é treinada à exaustão durante a semana.

- A gente procura revezar os três mais altos nos treinamentos, Jô, Léo Silva e eu, e desta vez tive a felicidade de marcar.

O Coritiba limitou-se a se defender, mas, após a desvantagem no placar, tentou sem sucesso furar a melhor defesa da competição. Os paranaenses, com 15 pontos, estão em 15º lugar, próximos da zona de rebaixamento.

Marcelo Oliveira pôde apenas lamentar o resultado.

- Pelo equilíbrio da partida, foi um resultado ruim.

O próximo adversário do Galo está na briga direta pelo título, o Vasco. A partida, neste domingo, às 16h (de Brasília), será no Estádio Independência, em Belo Horizonte. Já o Coxa, no mesmo dia e horário, em casa, pega o Corinthians.

Flu volta a se valer das cabeçadas e derrota o São Paulo em São Januário

A maior arma do Fluminense, todos já sabem, é a bola alta na área adversária. O clube, antes de iniciar a 15ª rodada do Brasileirão, era quem mais havia marcado em cabeçadas: seis vezes. E foi com essa receita que o time carioca derrotou o São Paulo, por 2 a 1, nesta quinta-feira, em São Januário. Os gols foram feitos de cabeça por Leandro Euzébio e Fred, agora artilheiro da competição junto com Alecsandro, do Vasco, com oito gols. Cícero, que também marcou numa testada, descontou para o São Paulo.

O resultado colocou o Flu, agora com oito gols em cabeçadas na competição, na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com 32 pontos.

- A gente chegou a passar dificuldade dentro do jogo, pela qualidade do São Paulo. Conseguimos melhorar no segundo tempo, fazer o gol que nos deu a vantagem, e seguramos bravamente esta vitória - avaliou o zagueiro Gum.

O São Paulo, por sua vez, está em sexto lugar, com 25 pontos, e perdeu a chance até de terminar a rodada dentro do G-4.

- Desconcentramos por 15, 20 minutos no segundo tempo. Na primeira etapa, mesmo tomando o gol, nós estávamos bem, com mais posse de bola até. Mas nos perdemos no começo do segundo tempo - disse o capitão são-paulino, Rogério Ceni.

A renda somou R$ 61.604,00 para um público pagante de 3.938 pessoas (5.799 presentes). O Fluminense volta ao campo no domingo para enfrentar o Palmeiras, no Engenhão, às 18h30m (de Brasília). No mesmo dia, às 16h, o São Paulo receberá o Grêmio, no morumbi.

Fim do jejum: Love marca, Fla volta a vencer e afunda ainda mais o Figueira

Foi uma vitória para acabar com jejuns. Com dois gols de Vagner Love, o Flamengo, após dez dias de treinos, voltou a campo e venceu o Figueirense por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, em Florianópolis, no estádio Orlando Scarpelli. O Artilheiro do Amor encerrou uma série de oito jogos sem balançar a rede. O Rubro-Negro, que vinha de uma sequência de quatro partidas sem vencer, voltou a somar três pontos. Com isso, chegou a 19 e passou a ocupar a décima colocação na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O Figueira continua sem se encontrar. Amargou sua sétima derrota consecutiva e continua na lanterna, com oito pontos.

- Sabia que uma hora a inhaca ia passar. Continuei trabalhando, consegui fazer os gols e ajudei o time a vencer. Nunca vou deixar de me entregar, independentemente de fazer gol ou não. Em nenhum momento parei de tentar e graças a Deus fiz dois - afirmou Love.

Antes do fim da partida, um fato curioso deu mais molho ao duelo: o atacante Loco Abreu respondeu às provocações da torcida rubro-negra ao exibir e beijar um escudo do Botafogo impresso na camisa azul que costuma usar por baixo do uniforme de jogo. Campeão carioca em 2010 justamente em cima do Flamengo, ele ainda fez com as mãos o gesto da cavadinha da cobrança de pênalti que decidiu o campeonato naquela ocasião. O árbitro Leandro Vuaden deu cartão amarelo ao uruguaio, que no primeiro tempo teve entrevero com Renato Abreu.

No sábado, pela 16ª rodada, o Flamengo enfrentará o Náutico no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. No mesmo dia, o Figueirense vai ao Recife enfrentar o Sport na Ilha do Retiro.

Na Vila, Santos desencanta, faz quatro e complica o Cruzeiro

Foram pouco mais de três mil torcedores de Santos e Cruzeiro na Vila Belmiro, na noite desta quarta-feira, em partida válida pela 15ª rodada do Brasileirão. Atrás da reabilitação depois de derrotas para Náutico e Ponte Preta, respectivamente, Peixe e Raposa aceitaram um jogo franco e aberto. Resultado: emoção, muitos gols e final feliz apenas para o Alvinegro, que conseguiu a vitória por 4 a 2.

A partida poderia ter ficado marcada pelo reencontro de Borges com o Santos, já que o artilheiro da Raposa mostrou o tradicional faro de gol e deixou o seu em Aranha. Mas a noite era dos Meninos da Vila e, principalmente, de Felipe Anderson, camisa 10 do Peixe. Inspirado, ele fez um dos gols e foi o destaque do confronto. Além de Felipe Anderson, Durval, Bill e Victor Andrade balançaram a rede pelo time paulista, e Ceará marcou o outro do Cruzeiro.

A torcida mineira ficou na bronca com o goleiro Fábio, que já havia falhado diante da Ponte e novamente foi questionado. Foi a segunda vez no Brasileirão que o Santos marcou quatro gols num jogo - a outra havia sido diante do Grêmio, também na Vila -, mas o ataque nem de longe vinha sendo o forte da equipe, que iniciou a rodada como a menos produtiva. Com a vitória, o Santos foi a 16 pontos, três a mais que o Palmeiras, time que encabeça a zona do rebaixamento. O Peixe é o 14º colocado e já não ostenta o pior ataque do Brasileiro - foi a 13 gols, um a mais que Bahia e Portuguesa.

O Cruzeiro, por sua vez, fica cada vez mais longe do G-4, estagnado na oitava posição com 23 pontos, quatro a menos que o Grêmio, quarto colocado e que tem um jogo a menos - atua diante da Ponte Preta, nesta quinta-feira, em Campinas.

Buscando um público maior (foram apenas 3.215 pagantes na Vila, com renda de R$ 73.475), o Santos mandará seu próximo jogo no Pacaembu - sábado, às 18h30m (de Brasília), contra o desesperado Atlético-GO. Já o Cruzeiro volta a jogar como visitante, também no sábado, no mesmo horário, diante do Bahia, em Pituaçu.

Barcos novamente decide contra o Botafogo, e Palmeiras vence por 2 a 1

Barcos novamente atormentou a vida do Botafogo. Como na primeira partida entre os times na Copa Sul-Americana, o atacante argentino fez os dois gols que deram a vitória ao Palmeiras, dessa vez por 2 a 1, na noite desta quarta-feira. Andrezinho descontou para a equipe carioca no Engenhão. O resultado colocou os paulistas na porta de saída da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, mas ainda na parte de dentro, em 17º lugar, com 13 pontos. O Botafogo permaneceu em sétimo, com 23.

Barcos ainda marcou o terceiro gol, mas foi mal anulado. O Palmeiras, que havia perdido nas três rodadas anteriores, iniciou o jogo como o pior visitante do nacional, com cinco derrotas e um empate.


A partida, válida pela 15ª rodada, atraiu 3.550 pagantes (5.053 presentes), proporcionando uma renda de R$ 102.755. Parte da torcida pediu a saída do técnico Oswaldo de Oliveira.

Na terça-feira, Seedorf havia convocado os alvinegros a irem ao estádio e apoiarem a equipe, que vinha de vitória fora de casa sobre o Atlético-GO. E fez um pedido específico para que dessem força a Rafael Marques e não gritassem por Loco Abreu. Não adiantou. O primeiro foi vaiado quando Oswaldo de Oliveira o chamou para entrar na partida. E o segundo teve seu nome gritado - curiosamente momentos antes de beijar o escudo do Botafogo em direção à torcida do Flamengo, na partida do seu Figueirense.

- Claro que queríamos outro resultado, mas estamos cometendo erros claros que precisam ser corrigidos. Quando errarmos menos, vamos voltar a ganhar. Mas ainda há tempo. Vamos melhorar e crescer - disse Seedorf após a partida.

Na próxima rodada, o Botafogo enfrentará a Portuguesa às 18h30m de domingo, no Canindé. No mesmo dia e horário, o Palmeiras volta a jogar no Engenhão, contra o Fluminense.

Bahia e Portuguesa empatam em duelo sem gols e de poucas emoções

Não foi dessa vez que o Bahia saiu da zona de rebaixamento ou a Portuguesa venceu a primeira partida fora de casa. Nesta quarta-feira, o Tricolor e Lusa empataram por 0 a 0 no estádio de Pituaçu, pela 15ª rodada do Brasileirão 2012. Ruim para a equipe baiana, que com 13 pontos continua entre os quatro últimos na classificação. Com 17 pontos, o time paulista permanece no meio da tabela, longe da briga pelas primeiras posições, mas também com uma certa distância da área de degola.

- Para a gente, foi um resultado excelente. Viemos de quatro jogos com resultados positivos e agora conseguimos um empate fora de casa contra o Bahia. Foi muito bom para a Portuguesa - decretou Ananias, da Lusa, após o apito final.

Do lado do Tricolor baiano, a esperança é voltar a ganhar o mais rápido possível para acabar com a pressão sobre o elenco e acalmar os ânimos da torcida.

- Tivemos a oportunidade de vencer. Podíamos aproveitar as chances que tivemos, mas, Infelizmente, não conseguimos. Agora, é fazer nosso dever de casa contra o Cruzeiro, no sábado, para sair dessa situação incômoda, que é a zona de rebaixamento - afirmou Rafael.

No próximo sábado, o Bahia vai encarar o time celeste no estádio de Pituaçu, às 18h30m (de Brasília), pela 16ª rodada. A Portuguesa, por sua vez, receberá o Botafogo, no Canindé. A partida está marcada para domingo, também às 18h30m.

Com gol no fim, Timão empata e evita zebra diante do Atlético-GO

Com gol do vaiado Juninho, Vasco bate Sport na Ilha e dorme líder

Com o resultado, o time gaúcho chega aos 27 pontos no Brasileirão e segue invicto com Fernandão como treinador. O Náutico agora soma 17 na tabela de classificação. Na próxima rodada, os colorados receberão a Ponte Preta no domingo, às 17h (de Brasília). No sábado, às 21h, o Náutico enfrentará o Flamengo, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Ao voltar à Ilha do Retiro após 13 anos, Juninho viveu a expectativa de receber o carinho no estádio onde viu nascer seu futebol. Mas foi vaiado e xingado por boa parte da torcida do Sport, antes e durante o jogo. Se ficou chateado com a reação vinda do lado rubro-negro da arquibancada, o meia pôde vibrar com a parte cruz-maltina. Marcou um belo gol de falta, no segundo tempo, e abriu o placar na vitória por 2 a 0 do Vasco, na noite desta quarta-feira.

- Não sou o primeiro a sofrer com esse comportamento. Torcedor tem memória curta, por mais que você tenha feito algo pelo clube. Eu entendo e respeito - declarou Juninho no intervalo.

O equatoriano Tenorio, que ficou cinco meses se recuperando de uma lesão no tendão de Aquiles e voltou a jogar no domingo, fez o segundo - um golaço, driblando goleiro e deixando Tobi no chão com um corte.

O Vasco está provisoriamente na liderança do Campeonato Brasileiro, com 34 pontos, dois a mais do que o Atlético-MG, que tem dois jogos a menos e enfrenta o Coritiba nesta quinta-feira, em Belo Horizonte. O time de Cristóvão Borges mostrou a boa fase de seu sistema defensivo, já que foi pressionado em parte do segundo tempo e se segurou bem. Agora acumula sete partidas sem sofrer gol.

O Sport, derrotado pela terceira vez em casa, tem 14 pontos e está logo acima da zona de rebaixamento, em 16º lugar. O Palmeiras, 17º, soma 13.

- Tivemos a expulsão do Diego Ivo, a lesão do Henirque. Foi injusto (o resultado). A gente teve a bola do Moacir na trave, a bola do Rithely defendida. Existem os detalhes que fazem com que você ganhe ou perca, e eles foram desfavoráveis para a gente. O torcedor entendeu que o time jogou bem e que não mereceria esse resultado - comentou o técnico Vágner Mancini.

No fim de semana, pela 16ª rodada, o Vasco fará um duelo direto pela liderança do nacional, enfrentando o Atlético-MG, às 16h de domingo, no Independência. Um dia antes, os pernambucanos recebem o Figueirense.

Em jogo marcado por polêmicas da arbitragem, Inter empata com Náutico

Bem que o técnico Fernandão alertou: o jogo contra o Náutico era perigoso. E, na noite desta quarta-feira, o Inter não conseguiu furar a marcação do time pernambucano e empatou em 0 a 0, em pleno Beira-Rio, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida foi marcada por polêmicas no segundo tempo. No início da etapa, Araújo marcou um gol, mas a arbitragem deu impedimento. Aos 20, Nei foi calçado dentro da área, e Ricardo Marques Ribeiro anotou apenas tiro de meta.

Ao final da partida, o zagueiro Índio lamentou a dificuldade do Inter em furar o bloqueio pernambucano:

- Eles ficaram todos atrás e ficou muito difícil para a gente.

O lateral-esquerdo alvirrubro Lúcio comemorou o resultado obtido no Beira-Rio. Ele ressaltou que a equipe colorada insistiu demais na bola aérea:

- O Inter só jogou bola na área, enquanto nós saímos com a bola no chão. O empate foi bom porque são poucos que virão aqui e tirarão pontos do Inter.

Com o resultado, o time gaúcho chega aos 27 pontos no Brasileirão e segue invicto com Fernandão como treinador. O Náutico agora soma 17 na tabela de classificação. Na próxima rodada, os colorados receberão a Ponte Preta no domingo, às 17h (de Brasília). No sábado, às 21h, o Náutico enfrentará o Flamengo, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

0 comentários:

Postar um comentário