Celso Russomanno questiona perguntas de César Tralli em entrevista ao "SPTV"


Candidato a prefeito de São Paulo e líder em todas as pesquisas eleitorais, Celso Russomanno (PRB) foi entrevistado no começo da tarde desta quinta-feira (20) pelo "SPTV", da Globo. O político não fez questão de demonstrar seu desconforto com as perguntas feitas por César Tralli, âncora do noticiário.

Após a apresentação, César logo questionou o candidato acerca da coordenação de sua campanha estar ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, a qual tem bispos, pastores e membros - sendo eles licenciados ou não - no comando: "Se o senhor for eleito, vai seguir orientação da Igreja Universal do Reino de Deus para administrar São Paulo?".

Celso Russomanno, ainda sem se alterar, respondeu valendo-se dos mesmos argumentos de questionamentos anteriores: "De jeito nenhum. Eu sou católico, nós temos um estado laico, não existe interferência da igreja na administração pública e não deve existir inclusive na campanha. Mas meu vice é católico, o coordenador da campanha é católico..Eu tenho pessoas na minha campanha que são ateus, muçulmanos..".

Na segunda pergunta, César Tralli voltou a insistir no tema e questionou o fato de Russomanno estar utilizando a estrutura da Igreja Universal para sua campanha: "O senhor sabe que isso é crime eleitoral?". O político, mais uma vez, manteve-se na defensiva e reconheceu a acusação mas afirmou que nada havia sido provado e citou sua carreira de mais de 22 anos de trabalhos na defesa do consumidor.

Por fim, na terceira pergunta, Celso Russomanno mostrou seu desconforto. César Tralli questionou se não constrangia a Celso o fato de ele se dizer católico e da Igreja Católica estar criticando sua postura por ter se vinculado à Universal.

Antes que a pergunta fosse concluída, Russomanno interrompeu e foi enfático: "César, posso te pedir um favor? Vamos falar sobre São Paulo. Vamos discutir os problemas de São Paulo. Vamos parar de discutir religião porque não convence ninguém, não leva a nada..A gente tem que discutir os problemas da cidade. A gente deve respeito aos eleitores e eles estão esperando da gente que a gente fale sobre a cidade, não ficar falando sobre religião. (…) Eu não preciso me dizer católico..Eu sou o que sou..Eu queria discutir São Paulo".

César Tralli pediu licença a Russomanno e informou que a história do candidato, bem como seus apoios, eram extremamente importantes para que o eleitor fizesse a sua convicção no momento de votar. Russomanno respondeu mantendo o seu tom: "Vamos falar de São Paulo? Podemos falar sobre a cidade de São Paulo? Se for sobre São Paulo eu quero falar".

Assim com todas as entrevistas promovidas pelo "SPTV", a duração foi de 8 minutos. Deste tempo, houve pouco menos de 2 dedicados à questões que fugissem dos apoios de Russomanno ou de religião.

O assunto restante foi a contratação de guardas municipais, uma das principais propostas do político do PRB e que era questionada por seus adversários devido ao alto custo que ela demandaria.

0 comentários:

Postar um comentário