Marcadores:

Pais de Catarina não apoiam decisão, mas dizem estar do lado da garota

Catarinense leiloa a virgindade

Quando Catarina Migliorini contou que tinha se inscrito no concurso para participar de um documentário e leiloar sua virgindade, sua mãe achou que fosse uma brincadeira. "Não achei que ela fosse seguir com isso. Ela achava engraçado e quando foi escolhida achou mais engraçado ainda", afirma Marli.

Até a manhã desta terça-feira (26), já tinham sido feitos 13 lances no site Virgins Wanted para comprar a virgindade da garota catarinense. O mais alto foi de um homem dos Estados Unidos: US$ 155 mil (cerca de R$ 310 mil). "Até semana passada eu não achei que isso fosse realmente acontecer, também não esperava toda essa repercussão", diz a mãe.

A mãe, que é dona de casa em Itapema, no Norte catarinense, diz nunca apoiou a decisão de Catarina. "Não vou julgar ninguém, muito menos a minha filha. Eu sempre vou estar do lado dela, ajudá-la, eu amo muito a minha filha, mas isso não significa que eu apoie sua decisão. Eu falei que a vida era dela, que ela era maior de idade e que podia fazer o que quisesse. Também disse que ela ia precisar de muita estrutura. Mas não gostaria que isso acontecesse", explica.

Catarina só contou para o seu pai, que é arquiteto, sobre o leilão na semana passada. "Ela não quis contar antes. Ela ligou lá de Bali para ele, que mora no exterior também. Não sei qual foi a reação dele, mas ele disse que ela devia estar na Argentina estudando", afirma. De acordo com a garota, o pai ficou nervoso no começo. "Eu conversei bastante com ele, falei dos meus ideais. No fim ele entendeu e disse que as escolhas são minhas", diz Catarina.
Entenda o caso
Catarina Migliorini, de 20 anos, decidiu se inscrever em um concuso na internet para participar de um documentário e leiloar sua virgindade. A inscrição foi há dois anos e o produtor australiano Justin Sisely logo chamou a menina, então com 18 anos, para fazer um teste em vídeo. Depois, ela foi a escolhida para participar do projeto.
Em entrevista, a catarinense de Itapema falou que decidiu tudo no impulso. "Eu era novinha e por ser virgem decidi me candidatar. Era uma oportunidade de viajar, conhecer novas culturas, mas não esperava uma resposta. Quando o diretor me escolheu, fiquei super feliz e decidi ir até o fim", diz.

As filmagens do documentário começaram há cerca de um mês, em Bali, na Indonésia. A produção faz parte do projeto. O vídeo vai registrar a história da jovem e os preparativos para o leilão, até o dia em que deve ocorrer sua primeira noite. "Eles filmam meu dia a dia, meu novos amigos aqui, eu falando com a minha mãe, minhas reações", explica Catarina. O documentário ainda não tem previsão de lançamento.

0 comentários:

Postar um comentário