Marcadores:

‘Foi meu primeiro grande amor’, diz Stênio Garcia sobre Cleyde Yáconis


Stênio Garcia (Foto: Raphael Dias/TV Globo)

Casado com Cleyde Yáconis por 11 anos, Stênio Garcia lamentou a morte da atriz, ocorrida nesta segunda, 15, em São Paulo.

“Devo a ela todo meu aprendizado de vida, foi meu primeiro grande amor. Eu era praticamente um garoto recém-saído do teatro, aprendi tudo com ela, a ter disciplina, seriedade, a ter um processo humano de trabalho”, diz ele, que foi casado com ela entre 1958 e 1969.

Graças a Cleyde, Stênio foi inserido, nos anos 60, em um meio teatral de grandes atores e diretores, como Ziembinski, Cacilda Becker (irmã de Cleyde), Walmor Chagas, Antunes Filho e Antônio Abujamra.
“A partir daí fiz grandes espetáculos, consegui estruturar minha carreira”, diz Stênio.

O ator relembra ainda a veia política de Cleyde, que foi presa durante a temporada de “Vereda da Salvação”, de Jorge Andrade, em 1964. “Na época da ditadura ela levantou bandeiras, foi presa, defendeu amigos como Flávio Rangel e Juca de Oliveira. Atriz completa, uma mulher fantástica, um ser humano que vai fazer falta”.

Após a separação, Cleyde continuou em São Paulo e Stênio se mudou para o Rio de Janeiro. Depois de anos afastados, se reencontraram em 2010, quando ela sofreu um acidente durante as gravações de “Passione” e quebrou o fêmur.

“Nós nos reaproximamos e ela disse ‘Só por isso valeu a pena sofrer esse acidente’. Passamos os últimos dois anos muito ligados. Minha atual mulher (Marilene Saade) é apaixonada por ela”, conta o ator.

Stênio está a caminho de Jordanésia, município de Cajamar, no interior de São Paulo, para participar do velório da atriz. “Para ela foi melhor. Eu a visitei mês passado e ela estava sofrendo muito. Agora está em paz”, diz.


Cleyde Yaconis e o elenco da novela "Passione", quando ela voltou às gravações, em 2010 (Foto: Alex Carvalho/TV Globo)

0 comentários:

Postar um comentário